Seja bem-vindo. Hoje é

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Sono Perdido


Espreguicei-me e,
Novamente Perguntei:
 -Cadê você?
Nos sussurros do silencio,
Virei...
Hora para um lado,
Hora para outro.
Corpo enrolado,
Cabeça abafada,
Respiração sufocada,
Rosto machucado.
 Constatei...
 Você foi embora...
Tentar lhe reencontrar
Em um turbilhão de ideias,
Com pensamentos
Que estão a embaralhar
Uma mente inquieta
Sem sucesso a buscar
Novamente estar
Nos braços de Orfeu
 A sonhar...
Não vou mais encontrar
O sono perdido
Que, No meio da noite.
Ficou a vagar.
Desistindo de lutar
Do leito me afastei
O som liguei!
Uma musica ouvi
Numa doce nostalgia
Me Embalei...
No meu imaginário
Lancei-me
Com a fantasia dancei
Com a minha companhia
Abracei-me
Quando além da janela
De repente visualizei
Um céu a clarear
Como uma vida a desabrochar
Anunciando que um novo dia
Estava a raiar
Para novamente se findar
Deixando a noite chegar
Para o sono reencontrar.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

... Que minha solidão me sirva de companhia.
Que eu tenha a coragem de me enfrentar.
Que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo.
 Clarice Lispector

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Para uma menina balzaquiana



Menina bonita!
De corpo e alma,
Você é formosa
De luz é sua  aura.


Menina bonita!
Sincera e sensível
As vezes manhosa
Mulher incrível...

Menina bonita!
Corajosa, aventureira,
Sua naturalidade
Te faz Gata e faceira. 

Menina bonita!
De charme natural,
Tem o cheiro das rosas
Que exala de um roseiral.

Menina bonita!
Alegre e distinta
Com seu jeito de criança
Não tem cara de trinta.

Menina bonita!
Comparo-te a uma flor
Essa flor se chama rosa
Dentre todas em um jardim
Ela é a mais formosa

quarta-feira, 4 de julho de 2012

A escrita é para mim
fonte de prazer e alegria!
O ansiolítico para o stress 
minha doce terapia!
Faço das minha noites  
prolongamento do meu dia,
é na solidão noturna
que dou asas a fantasia.
Humildemente apresento
as primeiras publicações,
de um eu lirico e romântico
que fala aos sofredores corações
de eternos apaixonados
por poesias e canções.
O livro " Emaranhado de Sentimentos"
é lirismo puro.
" Vozes do pensamento"
textos mais maduros.
" Peixinho Josephino"
histórinha de peixinhos expertos
livro infantil, dedicado aos meus netos.
" Vivências" uma Antologia
onde postei uma crônica 
sobre medos e fobia.



domingo, 15 de abril de 2012


Após tempestuosos sentimentos
Algo dentro de mim está mudando
Sinto uma grande paz  inundando
Meu coração
Que já estava cansado
De ficar sempre lutando.
Estou encontrando meu lugar ao sol...
Vislumbrei uma luz brilhante
Que está a me guiar
Para uma feliz certeza
Do lindo caminho que irei trilhar
Ele é cheio de amor,
 Com um doce aroma a me inspirar
Para ao outro, saber e poder me dedicar.

Canção De Outono


Perdoa-me folha seca
Não posso cuidar de ti.
Vim para amar neste mundo.
E até do amor me perdi.

De que serviu tecer flores
pelas areias do chão.
Se havia gente dormindo
sobre o próprio coração?


E não pude levantá-la!
Choro pelo que não fiz.
E pela minha fraqueza
é que sou triste e infeliz
Perdoa-me, folha seca!
Meus olhos sem força estão
Velando e rogando aqueles
Que não se levantarão...

Tu és a folha de outono
Voante pelo jardim.
Deixo-te a minha saudade
- a melhor parte de mim.
Certa de que tudo é vão.
Que tudo é menos que o vento,
Menos que as folhas no chão...


Cecília Meireles

sábado, 31 de março de 2012


Não via as estações passarem

Estou sentindo em meu rosto
Um vento frio soprar
Para me fazer lembrar
Que o verão vai acabar
E o outono já vai chegar.

Instante que mim pergunto,
Quantas estações eu deixei passar
 Sem vivê-las de verdade
Na intensão de me resguardar

Dos magoados pensamentos
Que viviam a espezinhar
Este coração ferido
Por um amor, frio e bandido.

Após do outono,
Vem o frio do inverno
É quando irei me agasalhar
Com o calor da esperança
Para na primavera desabrochar
E a cada nova estaç ão intensamente
 Vivenciar...
Janett Morais

segunda-feira, 19 de março de 2012


Pássaro azul voltou
A cantar na minha janela
Abri os olhos, feliz...
Sentindo-me uma cinderela
Por onde você andou?
Perguntei me aproximando da janela
Ele saltitou alegremente
Mostrando-me que a vida é bela
Saiu voando alto
Levantando o meu olhar
Que vivia cabisbaixo
Só com lagrimas a rolar.

Janett Morais

terça-feira, 13 de março de 2012

Em uma busca constante não paro um instante
para refletir...
Que o universo conspira a favor de mim,
Se eu confiar, e a  ele me entregar,
tudo em que acreditar Irei conseguir!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Não sei em que planeta me encontro
Só sei que perdi o encanto
do lirismo e da poesia...